7 de setembro de 2016

Fragilidades


Às vezes somos tão pequeninos
Que parecemos um passarinho
A procura de abrigo
A espera de um ombro amigo
Que nunca vem.

Nosso particular é tão frágil e tão sensível
Mas carregamos sementes
Que com garras e dentes
Que fazem germinar a flor.

Tão insignificantes nos sentimos
Que a cada dia que passa
Nem percebemos que partimos
Pouco a pouco.

Nesse mundo que achamos grande
Para o minúsculo que somos
A única certeza que temos
É que plantamos o nosso amor.

(Adriana Silva)

Nenhum comentário:

Postar um comentário