26 de agosto de 2015

Me defendo das pedras sendo quem sou: de verdade e protegida pelo céu


Se me jogarem pedras, não devolverei flores. 
Só as entrego a quem faz laços de afeto comigo; 
a quem não solta minha mão,mesmo nos momentos 
de dúvida e tempestade; 
a quem me olha de frente e consegue me enxergar 
até quando nebulosidades insistem em turvar a visão. 
Entrego as flores aos que me ouvem só pela sintonia. 
E as pedras? 
Me defendo delas sendo quem sou: 
de verdade e protegida pelo céu.

Inês Seibert

Nenhum comentário:

Postar um comentário