12 de setembro de 2014

Liberdade


Me desfiz de tudo aquilo que apertava o meu peito.
Me desfiz de tudo aquilo que me fazia mal.
Fiz uma faxina profunda dentro da minha alma
Tirei o pó de  cada canto do meu coração.

Abri as janelas da minha mente,
E voei rumo a liberdade.
A liberdade de continuar sendo quem sou
A liberdade de não ter que provar nada a ninguém.
A liberdade de não passar por situações que não mereço.

Não nasci pra viver aprisionada em um mundo de imaginação.
Gosto de voar pelos contos e voltar na minha razão.
Meu mundo de sonhos é a vida que tenho.

Apesar das tempestades
Tem os passarinhos,
Tem o sol,
Tem  a lua,
Tem a vida.
E quero viver a vida que Deus me deu.

Não quero nada que não caiba mais em mim.
Não quero nada que saia do meu sim...

(Adriana)